Artigo incluído na revista Volume XI :: No.1 :: Julho 2015

Revisão Temática

Reflexões sobre a metodologia da Clínica da Atividade: diálogo e criação no meio de trabalho

Alice Paiva Souto1, Karla Maria Neves Memória Lima2 & Claudia Osorio da Silva3
(1) Programa de Pós Graduação em Psicologia
Universidade Federal Fluminense
Rua Santa Cristina, 49/203
Santa Teresa, Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20241250
Brasil
ally_paiva@yahoo.com.br
(2) Núcleo de Estudos e Intervenção em Trabalho e Saúde (NUTRAS)
Programa de pós graduação em psicologia
Departamento de Psicologia - Instituto de Psicologia
Universidade Federal Fluminense
Rua Tonelero, 125/802. Copacabana
CEP: 22030-001.
Rio de Janeiro - RJ
Brasil
karla.memoria@gmail.com
(3) Núcleo de Estudos  e Intervenção em Trabalho e Saúde (NUTRAS)
Programa de pós graduação em psicologia
Departamento de Psicologia - Instituto de Psicologia
Universidade Federal Fluminense
Rua São Manuel, 23 apt 201. Botafogo
Rio de Janeiro - RJ
Brasil
claudia.osorio.uff@gmail.com
Resumo

Este artigo discute a metodologia da clínica da atividade. São analisados aspectos que apontam para a abertura dialógica possibilitada por esta abordagem, que viabiliza a criação de novos recursos para a atividade de trabalho, bem como a produção de conhecimento sobre esse processo de criação. Ressalta-se o modo pelo qual a metodologia dialógica e indireta pode desenvolver tais condições. O diálogo entre trabalhador(es) e o analista do trabalho pode mobilizar a experiência estabilizada como meio de viver novas experiências e assim propiciar o desenvolvimento de novos recursos para a ação. Articulam-se os métodos utilizados pela clínica da atividade com a psicologia vigotskiana, empreendendo a discussão acerca dos conceitos de criação e desenvolvimento.

Palavras-chave clínica da atividade, metodologia, trabalho, criação, desenvolvimento.