Artigo incluído na revista Volume XII :: No.2 :: Dezembro 2016

Pesquisa Empírica

Para o estudo da difusão do Modelo Operário. Três histórias do Chile

Patrizio Tonelli1
(1) Programa Trabajo, Empleo, Equidad y Salud (TEES),
Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales (FLACSO) - sede Chile.
Avenida Dag Hammarskjold 3269, Vitacura,
Santiago, Chile
patriziotonelli@flacsochile.org
Resumo

O Modelo Operário representou durante os anos setenta a “proposta mais acabada” de investigação participativa no campo da saúde dos trabalhadores, e a partir de seu local de origem, a Itália, se difundiu e influenciou as lutas pela proteção da saúde dos trabalhadores em outros contextos nacionais. Este artigo apresenta uma reconstrução histórica de três experiências de aplicação do Modelo Operário no Chile durante os anos ’90 do século passado, em três diferentes ambientes de trabalho. Nelas se destacam a capacidade do Modelo de se adaptar a contextos e exigências novas, assim como os problemas ligados à prática de não delegação. O artigo pretende ser um aporte historiográfico que enriqueça o estudo e a compreensão do Modelo e de suas riquezas passadas, se direcionando, ao mesmo tempo, a redescobri-lo como aporte para repensar as formas atuais com que trabalhadores e especialistas abordam a saúde no trabalho.

Palavras-chave história, saúde dos trabalhadores, Chile, modelo operário.