Artigo incluído na revista Volume III :: No.2 :: Dezembro 2007

Revisão Temática

Países ricos e trabalho de menores: o paradoxo ocidental

Gianni Paone1
(1) Sistema Servizi Nazionale CGIL
Via IV Fontane, 108/00184 Roma, Itália
g.paone@inca.it
Resumo

Na Europa o trabalho de menores não está investigado em profundidade. A perspectiva do senso comum é de que o trabalho infantil foi irradicado das sociedades ocidentais. Mas não é assim, e seria instrutivo um olhar mais próximo sobre as formas que assume em países economicamente avançados. Compreendendo e identificando as semelhanças e as diferenças entre as formas como diferentes regiões abordam a fase da infância e da adolescência ajudarnos-á a fundar os alicerces de estratégias, políticas e planos de acção futuros para esbater as desigualdades sociais. O trabalho de menores é também uma questão importante num quadro alargado de sectores em países industrializados. O trabalho de menores preenche os interstícios de um mercado de trabalho fragmentado, e é especialmnete prevalente em vários sectores da economia informal. Nos países Europeus, um elevado número de crianças realiza trabalhos sazonais remunerados, vendas de rua e trabalho doméstico, por exemplo. A transição de alguns países da Europa de Leste para uma economia de mercado trouxe também o ressurgimento do trabalho de menores na Europa Central e do Leste. Em alguns casos, no entanto, as crianças trabalham em parte por sua livre vontade, para as suas despesas pessoais.

Palavras-chave Europa, trabalho de menores, exploração, mercado de trabalho, jovens.