Artigo incluído na revista Volume 13 :: No.2 :: Dezembro 2017

Pesquisa Empírica

Os Fatores Psicossociais de Risco na Atividade de Técnicos Superiores de Segurança no Trabalho

Joana F. Ramalho1 & Lúcia Simões Costa2
(1) Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra do Instituto Politécnico de Coimbra
Apartado 7006, Rua 5 de Outubro
São Martinho do Bispo
3046-854 Coimbra
Portugal
jfframalho@gmail.com
(2) Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra do Instituto Politécnico de Coimbra Apartado 7006, Rua 5 de Outubro
São Martinho do Bispo
3046-854 Coimbra
Portugal
lucias@estescoimbra.pt
Resumo

Alterações sociais e organizacionais têm trazido profundas transformações que podem gerar nos locais de trabalho, dinâmicas de cariz psicossocial que se tornam preocupantes. Os “riscos psicossociais” resultam de um conjunto de condições e de fatores intrínsecos à organização do trabalho que devem ser identificados. Este estudo teve como principal objetivo verificar se os Técnicos Superiores de Segurança no Trabalho (TSST) que desempenham a sua atividade em Portugal estão, ou não, expostos a fatores psicossociais de risco e se, como consequência, veem deteriorado o estado da sua saúde. Concluiu-se que estão expostos a fatores psicossociais de risco associados a condições e caraterísticas do seu trabalho. A sua saúde é percecionada como sendo boa e não muito relacionada com o trabalho, embora alguns dos seus problemas de saúde sejam agravados por ele. Quanto menos afetados são os TSST pelos fatores psicossociais de risco melhor percecionam a sua saúde.

Palavras-chave Fatores Psicossociais de Risco; condições de trabalho; atividade; Técnicos Superiores de Segurança no Trabalho; INSAT..