Artigo incluído na revista Volume VII :: No.1 :: Julho 2011

Pesquisa Empírica

O trabalhar em serviços de saúde mental: entre o sofrimento e a cooperação

Uchida, S.1, Sznelwar, L. I.l.2, Barros, J.O.3 & Lancman, S.4
(1) 1. Fundação Getulio Vargas
Av. 9 de Julho, 2029 – Bela Vista CEP 01313-902 – São Paulo, SP Brasil
seiji.uchida@fgv.br
(2) 2. Escola Politécnica da USP
Departamento de Engenharia de Produção
Av. Prof. Luciano Gualberto, travessa 3, no 380 CEP 05508-010 – São Paulo, SP
Brasil
laertesz@usp.br
(3) 3. Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Av. Dr. Arnaldo, 455 – Cerqueira César
CEP 01246903 – São Paulo, SP
Brasil
juliana.obarros@usp.br
(4) 4. Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional
R. Cincinato Braga, 184, apto 51,
CEP 01333-010 – São Paulo, SP Brasil
lancman@usp.br
Resumo

A proposta central deste artigo é a de apresentar o resultado de uma ação em psicodinâmica do trabalho (PDT), desenvolvida com uma equipe de trabalhadores de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), localizado na cidade de São Paulo, Brasil. Trata-se de um serviço especializado no atendimento em saúde mental, destinado, prioritariamente, às pessoas com transtornos mentais severos e persistentes. Buscou-se, por meio de uma ação em PDT, compreender as vivências dos trabalhadores, a relação sofrimento e prazer no seu trabalho, assim como as estratégias desenvolvidas para obter resultados, identificando fatores críticos e formas para vencê-los. A criação de espaços coletivos de discussão que possibilitassem identificar e dar visibilidade às estratégias de trabalho criadas pela inteligência individual e coletiva dos sujeitos em sua experiência concreta é um ponto fundamental desta abordagem. Considera-se que a inclusão da vivência dos trabalhadores para o aprimoramento da implantação da política pública de saúde mental brasileira possibilite um aprimoramento das instituições.

Palavras-chave sistema público de saúde, saúde mental e trabalho, cooperação e equipes de trabalho, ação em psicodinâmica do trabalho.