Artigo incluído na revista Volume 14 :: No.1 :: Julho 2018

Pesquisa Empírica

O espaço experiencial da dor: sofrimento, corpo e inscrição social depois do acidente de trabalho entre trabalhadores industriais portugueses

Bruno Monteiro1 & Virgílio Borges Pereira2
(1) Instituto de Sociologia da Universidade do Porto
Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Via Panorâmica s/n
4150-564 - Porto
bjrmonteiro@gmail.com
(2) Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras e Instituto de Sociologia
da Universidade do Porto
Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Via Panorâmica s/n
4150-564 - Porto
jpereira@letras.up.pt
Resumo

Este artigo apresenta resultados preliminares de um estudo sociológico sobre a experiência de sofrimento físico e social de trabalhadores portugueses que sofreram um acidente de trabalho. Por via da combinação entre métodos distintos, usando um inquérito extensivo de uma amostra nacional de trabalhadores sinistrados e entrevistas em profundidade, este artigo identifica as principais caraterísticas que definem a experiência vivida dessas dores e explora, a partir da Análise de Correspondências Múltiplas, as virtualidades concedidas por uma leitura relacional da informação em termos sociológicos. Além de mostrar que a desigualdade está intensamente associada à (re)produção de acidentes laborais, este artigo argumenta que as inscrições sociais e os dispositivos institucionais têm um contributo importante na definição das experiências de sofrimento pós-sinistro.

Palavras-chave pós-acidente; incorporação; dor; divisões sociais; experiência vivida.