Artigo incluído na revista Volume VIII :: No.1 :: Julho 2012

Pesquisa Empírica

Gestão dos tempos e do percurso profissional: estratégias das mulheres em profissões definidas no masculino

Sónia Nogueira1 & Joana Castelhano2
(1) Centro de Psicologia da Universidade do Porto Rua Alfredo Allen, 4200-135 Porto, Portugal
snogueira@fpce.up.pt
(2) Centro de Psicologia da Universidade do Porto Rua Alfredo Allen, 4200-135 Porto, Portugal
jcastel@fpce.up.pt
Resumo

O tempo assume-se como uma questão central na (des)igualdade entre homens e mulheres no trabalho, sendo particularmente visível na forma como distribuem o seu tempo diariamente. Em profissões tipicamente masculinas, onde a organização temporal segue o pressuposto da disponibilidade total para o trabalho, os tempos são mais suscetíveis de dificultar a conciliação com a vida pessoal, sobretudo para as mulheres, as maiores responsáveis pelas tarefas na esfera doméstica. A realização de dois estudos de caso com polícias e motoristas, profissões em processo de feminização, permitiu dar conta do papel central do fator tempo nestas atividades. Em ambos, a articulação trabalho/família num quadro de horários atípicos depende da mobilização de estratégias distintas para homens e mulheres. No caso destas, uma diferente gestão dos tempos de trabalho diários corresponde também a uma gestão diferenciada da carreira profissional. Os resultados encontrados possibilitam uma reflexão acerca do contributo das mulheres para estas atividades, questionamentos e debates que desencadeiam no que concerne, sobretudo, a organização temporal do trabalho mas também o valor do tempo no mercado de trabalho atual.

Palavras-chave tempo, feminização, horários de trabalho, percurso profissional.