Artigo incluído na revista Volume 13 :: No.2 :: Dezembro 2017

Pesquisa Empírica

Entre a (pre)determinação e as possibilidades de regulação: Uma proposta metodológica para interpretar a adoção e uso de tecnologias enquanto escolhas organizacionais

Daniel Silva1 & Ricardo Vasconcelos2
(1) Centro de Psicologia da Universidade do Porto
Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Rua Alfredo Allen s/n 4200-135 Porto, Portugal
danielsilva@fpce.up.pt
(2) Consultor Independente
Wesemlinstrasse 15 6006 Lucerne, Switzerland
ricardo.vasconcelos@me.com
Resumo

Este artigo apresenta uma revisão dos contributos epistemológicos e teóricos da Teoria do Agir Organizacional acerca da relação entre mudança na organização e tecnologia. Se, por um lado, o ritmo e sofisticação do desenvolvimento tecnológico têm produzido consequências visíveis no trabalho, por outro lado, as visões interpretativas sobre o fenómeno seguem percursos distintos, ainda que partilhando do mesmo racional determinístico. Partindo da possibilidade de conceber a tecnologia enquanto racionalidade técnica do processo de ação, propomos a abordagem “Matriosca” como uma opção metodológica para sustentar a interpretação da tecnologia não como uma variável externa ou decorrente exclusivamente da construção social, mas antes como escolha organizacional, na qual interagem decisões/ações de diferentes níveis na construção da regulação do processo. Esta proposta é complementada pela apresentação de um caso numa empresa portuguesa, cujos resultados evidenciam a possibilidade de estabelecer um processo dialógico para a definição material dos artefactos tecnológicos. 

Palavras-chave tecnologia; mudança organizacional; racionalidade técnica; ações/decisões; Matriosca.