Artigo incluído na revista Volume 14 :: No.2 :: Dezembro 2018

Pesquisa Empírica

Digitalização do trabalho no INSS: tensões e estratégias de regulação na implementação do novo modelo de atendimento

Sacha Pinheiro1, Marta Santos2 & Liliana Cunha3
(1) Faculdade de Psicologia
e Ciências da Educação,
Universidade do Porto
Rua Alfredo Allen,
4200-135, Porto
Portugal
sachapinheiro@gmail.com
(2) Centro de Psicologia
da Universidade do Porto,
Faculdade de Psicologia
e Ciências da Educação,
Universidade do Porto
Rua Alfredo Allen,
4200-135, Porto
Portugal
marta@fpce.up.pt
(3) Centro de Psicologia
da Universidade do Porto,
Faculdade de Psicologia
e Ciências da Educação,
Universidade do Porto
Rua Alfredo Allen,
4200-135, Porto
Portugal
lcunha@fpce.up.pt
Resumo

Este artigo tem como objeto a digitalização do atendimento no Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, organização responsável pela operacionalização da política de Previdência Social do Brasil. Referenciais da Psicologia do Trabalho e da Ergonomia da Atividade fundamentaram estudo de terreno para compreender as condições de implementação do “Projeto INSS Digital” e suas implicações para a atividade dos servidores. Evidenciou-se heterogeneidade no controle de produção e nos recursos para a apropriação das tecnologias em diferentes unidades. Com a intensificação do trabalho, as estratégias de regulação tentam equilibrar as exigências de produção com a proteção da saúde, através de esquemas de utilização das ferramentas informáticas que confrontam estes trabalhadores com sobrecarga adicional de trabalho, pela realização de várias operações simultâneas e pela necessidade de validar o trabalho com recurso ao papel, face aos imponderáveis que o suporte digital traduz nesta fase e face à experiência ainda a construir na sua resolução.

Palavras-chave digitalização; atividade de trabalho; estratégias de regulação; tecnologias.