Artigo incluído na revista Volume XII :: No.1 :: Julho 2016

Pesquisa Empírica

Dificuldades e limitações das luvas de proteção usadas no corte manual da cana

Maria Cristina Gonzaga1 & Cristiane Queiroz Barbeiro Lima2
(1) Serviço de Ergonomia, Fundacentro - Ministério do Trabalho e Previdência Social
Rua Capote Valente,710,
São Paulo, SP, Brasil
gonzaga@fundacentro.gov.br
(2) Serviço de Ergonomia, Fundacentro - Ministério do Trabalho e Previdência Social
Rua Capote Valente,710,
São Paulo, SP, Brasil
cristianequeiroz@fundacentro.gov.br
Resumo
O presente estudo partiu de pesquisas anteriores a respeito do uso de luvas de proteção no corte manual da cana-de-açúcar. Analisa-se o processo de certificação de aprovação deste EPI, discutindo a problemática do distanciamento entre normas de ensaios para fabricação de equipamentos de proteção dos usuários e a atividade a ser exercida.
 
Destaca-se a importância do reconhecimento da variabilidade entre os tamanhos das mãos na seleção de luvas de proteção, assim como se enfatiza o número de acidentes e doenças ocupacionais registrados na atividade envolvendo mãos, justificando a relevância de seu uso. Observou-se como a principal ferramenta de trabalho – o facão – é readaptada pelos trabalhadores para ser utilizada com eficiência no processo produtivo. São apresentadas sugestões elaboradas pelos trabalhadores para aperfeiçoamento das luvas e do facão. À guisa de conclusão, identificam-se os desafios em reconhecer e discutir as dificuldades e limitações do uso de EPI e do sistema de certificação.
Palavras-chave luvas, trabalho, saúde, corte manual da cana-de-açúcar.